quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

E Enxaqueca foi...

às compras.
Novidade, eu sei.

Enfim, depois de brincar de Bela Adormecida - acho que bati o meu próprio recorde, dormindo das 4 da tarde às 10:30 da manhã do dia seguinte com um rápido intervalo que pensava que havia sido sonho - fui passear. Primeiro no supermercado aqui perto de casa mesmo. O caso é que acordei com fome e nada pra comer nessa casa era digno de mim. É, não tinha Coca Cola Light. E não tinha Ninho Solei. E assim não dá pra ser feliz mesmo, não é, Zuzu?

E fiz a minha ótima ação do dia! Limpando o loft, lavando o resto da roupa e da louça, comprando coentro pra minha mãe - tudo bem que ela queria a folhinha do coentro e não o coentro em pó. E eu lá sabia que coentro in natura era folhinha!? Pensava que era semente mesmo, orabolas! Alowww! A comunidade "Não Nasci para Amélia" do Orkut não é minha a troco de nada, deusdocéu...

E não contente com o passeio no mercado fui aproveitar as férias e passear no shopping. Tá. Ok. Não, eu não vou pro shopping só nas férias. Tá, eu sei que já passei muito tempo dentro de shopping. Mas acompanha o enredo e não faça tantas intromissões, Zuzu!

Fui ao shopping porque tinha que comprar um telefone pro meu quarto orabolas. Tá, não era bem um telefone que eu tinha que comprar e sim a bateria para o telefone sem fio... Só que cansei de procurar pela bateria. Acho que ela não existe, sei lá. E sim, eu já estava de saco cheio do telefone que tinha aqui. Eu sei. Fico de saco cheio das coisas rápido demais. Detalhes que não quero comentar no momento.

E aproveitando que eu estava no shopping, fui ao Templo dos Pobres: Casa & Vídeo. E mamys, que estava comigo, me pergunta se eu me lembro de como era a Casa & Vídeo antigamente... Deusdocéu! Se eu nã admito que entro nela hoje em dia, você acha que vou admitir que ela fez parte do meu passado? Deusmelivre!!! Mas olha, realmente o início nebuloso da Casa & Vídeo eu não sabia mesmo... E mamys, que também é cultura inútil, contou que era um balcão apenas e a gente chegava lá com o anúncio do jornal e pedia o que queria... e que por isso todo mundo achava que era contrabandeado, falsificado, etc e tal. Hoje em dia só se vende a imagem de que é 2ª linha mesmo...

Bem, já que estava por lá mesmo, por que não comprar? E comprei coisinhas lindinhas, fofinhas, úteis e inúteis... Coisas de Enxaqueca!

Ah.
E promoção da UNCLE K. Como assim eu deixaria passar? Nunca, jamais, em tempo algum! E tenho uma bolsa nova que é uma graça - e mamys disse que se parece muito mais comigo do que a mochila que eu ia comprar... Argumentou que só me vê com bolsinhas de mão pequenas... alowww! Ela parece que esqueceu o meu passado de retirante pobre, de mochila nas costas saindo de casa às 5 da matina e voltando às 11 da noite...

Enfim.
Brasileiro tem memória curta mesmo.

E acha que acabou, Zuzu?
Claro que não!
E lá fui eu pro mercado agora a noite. Pro Guanabara, a visão do Inferno. De onde sai tanta gente, deusdocéu? Por que todo mundo resolve ir às compras numa quarta-feira à noite, especificamente na quarta-feira na qual euzinha sou arrastada lá pra dentro?

Mas aí fui com Papito pro súper, porque mamys tinha que fazer arroz (sei... juro que acho que isso foi uma desculpa deslavada pra não aguentar meu pai no mercado...). Só que ir pro mercado com meu pai sempre me é lucrativo, não dá pra negar... =) ... compro meus víveres e ele nunca reclama. Na verdade, reclama de produto de limpeza e enlatados. Argumenta que para limpar é bom mesmo água e sabão (mas sempre dá um chilique básico quando eu pego 2 caixas de sabão em pó...) e que odeia latas (eu não sei qual é o trauma de infância do cara, Zuzu... nem adianta me perguntar...)

Ah, claro.
E eu ainda recebo a lista de compras da Estressada pelo celular. E ai de mim se não compro o que ela quer! O mundo vem abaixo em cima de minha cabeça...

E agora eu vou dormir.
Muita coisa pra fazer amanhã... Tipo acabar de arrumar meu quarto. Já te contei desse processo lento e delicado, Zuzu? Não? Aff, então espere que isso dá um post gigante!

Zarpei!

Nenhum comentário:

Postar um comentário