quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Sobre casamentos (ainda)

Ontem, durante a aula com dois alunos – que são um casal, acabaram de se casar, como manda o figurino... ou sei lá quem – estava falando sobre essas considerações e eles me disseram que sim, toda mulher tem uma hora de casar, de ter filhos, etc e tal. E eu disse que essa coisa não acontece comigo não... E eles disseram que vai acontecer, que uma hora acontece. Eu sei lá. Mas como são médicos, vai que tem um fundo de verdade? Mas o mais interessante de tudo foi como eles resumiram a visão de casamentos para mulheres e homens:

O homem decide com quem vai casar e a mulher quando vai casar.

E não é que é?

Acompanha comigo: o carinha pode, do nada, encontrar uma mulher e resolver casar com ela em menos de 1 ano, mesmo que tenha namorado outra por 10 anos e tenha sempre usado a desculpa "sou muito novo para isso, não 'tô preparado". Mentira, pura e simples. Ele simplesmente não quer casar com a mulher em questão e ponto final.

Em contrapartida, vamos encontrar mulheres bonitas, independentes financeiramente, com uma vida pela frente, que de repente, cisma que quer casar. E pega qualquer um que esteja disponível. Vi isso acontecer. Duas vezes. Conto os casos:

Caso 1: Aqui perto vivia uma guria que tinha um namorado. Para mim era tipo uma lenda urbana. Porque ela vivia falando sobre o Fulano, mas eu nunca tinha visto o Fulano. Enfim, que o seja. Tem gente que passa da fase do "amigo imaginário" direto pra fase do "namorado imaginário". Então, a gente aceita. <BR>

O caso é que a vida dela deu umas reviravoltas... e ela apareceu dizendo que ia casar, que estava tudo decidido, pronto, etc e tal. Tipo, em Novembro ela me disse isso. E me entregou, em dezembro, o convite de casamento, para início de janeiro. Simples assim. Mas quer saber o mais impressionante? Que ela passou de fevereiro a novembro falando do Fulano... E apareceu com o convite de casamento para JANEIRO com o nome do Sicrano. Sim, isso mesmo! Ela namorou com um durante um ano e no ano seguinte casou com outro. Simples assim. Fácil assim. Assustadoramente assim.

Caso 2: Uma amiga minha trabalhava com um carinha. Tipo, amigos, nada demais. Essa amiga sempre foi louca por homens de farda. Sério. Coisa de tara mesmo. Pois bem. O cara em questão era professor foderoso de matemática. Um dia o exército viu que precisava tê-lo de volta em serviço. Melhor, de volta no quartel, dando aula pros malucos que querem seguir carreira militar. E o chamou de volta. O que a minha amiga fez? Namorou, noivou e casou em menos de um ano. Só pra passar debaixo das espadinhas... Coisa que eu não vi porque só cheguei mais tarde na festa. Hunf. Bem, eles ficaram casados por um tempo, mas aí o casamento acabou – na verdade, o cara saiu do exército de novo...

Mas há uma pré-história nisso tudo... Essa minha amiga, antes desse casamento a jato, tinha um namorado. Que havia sido o primeiro namorado dela. Só que eles já haviam terminado e juntado diversas vezes. E quando eles se separavam, cada um namorava outra pessoa. Só que chegou uma hora que eles resolveram assumir que sim, eles se amavam e que sim, eles queriam ficar juntos. E ele a pediu em casamento. Coisa linda, coisa fofa, coisa perfeita, final de novela... Aí a última ex-namorada do cara reapareceu... e grávida. Foi demais pra minha amiga. Ela terminou tudo com o cara... Mas já estava doida pra casar... Então o amigo do trabalho foi chamado de volta pro exército e aconteceu o que eu já contei lá em cima. <BR>Ah, sim. Depois que a minha amiga terminou o casamento, deu umas escorregadas na pista mas já está de volta com o namorado que sempre foi o grande amor da sua vida, ou algo que o valha. A última notícia que tive é que ela estava grávida. 'Tá, mas é do namorado. Chega da reviravoltas eletrizantes.

Mas então. É só pra mostrar, Zuzu, que, realmente, meus alunos médicos devem estar lá certos e que quando a conjunção do quando da mulher e quem do homem ocorre, nós temos o casamento. Acho que não rola, por vezes, esse lance cafona de amor não... Se assim o fosse, não teríamos tanta gente depois de alguns anos de casamento dizendo "não sei o que posso ter visto nele pra casar com o traste"...


_____________________________________________________________________________________


Às comentaristas... obrigada pela participação! =) ...
Olha, eu não estou conseguindo comentar em blogs alheios.
Não, eu não quero mais falar sobre a porra do velox.
Só saiba que 'tô muito puta com infelizes que não tem nada pra fazer
e ficam tomando conta do que não deve e ainda atrapalham a minha vida.
Não entendeu nada, né? Depois eu conto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário